Escolha uma Página
Meditação com Batidas Binaurais para o TDAH

Meditação com Batidas Binaurais para o TDAH

Um número recorde de crianças e adultos estão sendo diagnosticados com TDAH, uma condição tipicamente caracterizada por desatenção, impulsividade e hiperatividade. TDAH tornou-se o distúrbio psicossocial mais comum em crianças, afetando quase 4,5 milhões de crianças.

Este diagnóstico em crianças é comum, ao passo que o diagnóstico na fase adulta é muitas vezes problemático devido a uma condição de TDAH já que os sintomas devem ter começado na infância. Também é um problema já que não existe um teste clínico para TDAH. A abordagem para obter os comprimidos envolve apenas você selecionar as opções certas no teste, o que naturalmente leva a erros de diagnósticos.

Com 11 por cento das crianças com idade escolar agora receberam um diagnóstico de TDAH, não é de admirar que muitos pais estão procurando uma segunda opinião e uma alternativa holística ao invés de ter que administrar medicamentos como Ritalin, Adderall, Dexedrine, Strateera ou Daytrana aos seus filhos todos os dias. Além disso, para adultos com horários apertados de trabalho e famílias para cuidar, efeitos colaterais comuns de medicamentos de TDAH como dores de cabeça, dor de estômago, tonturas, alterações de humor e pressão arterial elevada, muitas vezes parecem pior do que lidar com os próprios sintomas.

Meditação para o TDAH

Já falamos aqui no blog sobre a importância e os benefícios da meditação para o TDAH.
A meditação pode ajudar a tratar distúrbios não apenas de TDAH, assim como relacionados, tais como Asperger e transtornos de humor. Ao contrário das drogas, a meditação influencia a causa da doença em vez de criar um efeito temporário, que é capaz de melhorar constantemente a condição em uma base permanente.

Mas há uma falha fundamental na meditação para o TDAH. Se você tem TDAH, ou conhece alguém que tem, sabe que pode ser difícil entrar em um estado propício à meditação. Se este é o caso para os adultos, como podemos esperar que as crianças sentem na posição de lótus e meditem para alcançar um calmo, balanceado e centrado estado da mente. Raramente é possível, fato. Mas com o entretenimento do cérebro usando batidas binaurais(também conhecido como: binaural beats e brainwave beats) isso é muito mais fácil, porque tudo que você tem a fazer é ouvir com fones de ouvido. Idealmente, você estaria sentado ou deitado, mas o efeito ocorre no cérebro, por isso, mesmo que você fosse incapaz de se sentar (criança ou adulto) o cérebro ainda seria entretido.

Meditação com batidas binaurais para o TDAH

Quando o cérebro produz uma abundância de ondas cerebrais Alpha em um estado de foco e calma, propícia períodos de concentração e situações sociais. Quando o cérebro produz uma abundância de ondas Teta ele está em um estado muito relaxado, propício para meditação profunda. Estes são dois estados que quem sofre de TDAH luta para conseguir. Gravações de batidas binaurais enviam uma combinação de tons para o cérebro para ajudar a mover-se em tais estados. Então, digamos que você se sente incapaz de sentar e se concentrar em seu trabalho por mais de cinco minutos – um sintoma clássico de TDAH – você iria colocar uma gravação de ondas Alpha e entreter o seu cérebro para o estado desejado.

Nota: Quem sofre de TDAH deve evitar o uso de batidas binaurais ou quaisquer produto de estímulo de ondas cerebrais de engenharia na zona Beta. Gravações beta aumentam a atividade cerebral e são suscetíveis a fazer quem sofre de TDAH mais hiperativo e menos capaz de se concentrar.

Normalmente as gravações tem 30 minutos de duração e consistem em um tom constante tocando por baixo de um ambiente natural, como chuvas, ou música de meditação tranquila. Tudo que você precisa fazer é colocar os fones de ouvido, relaxar e apertar play. O estado de alerta relaxante que pode ser produzido usando batidas binaurais cria mais conectividade nas áreas frontais do cérebro – as áreas que controlam ações impulsivas, julgamento e as deixas sociais. Isso cria um painel cérebral mais coeso. Este funcionamento integrado fortalece os circuitos, criando uma melhor comunicação de uma parte do cérebro com a outra.

Teste batidas binaurais para evitar diagnósticos incorretos

É comum, especialmente para as crianças, expressar sinais de impulsividade, hiperatividade e desatenção; as crianças passam por estas fases. Da mesma forma que o stress, uma dieta pobre e falta de sono pode também provocar os mesmos sintomas em adultos. Por isso, é inteiramente possível que se diga a uma criança ou um adulto que eles têm TDAH sem que um médico realmente saiba se esse é realmente o caso. O diagnóstico funciona a medida em que se seus sintomas são reduzidos com a medicação, então você tem. Mas então, pesquisadores descobriram agora que a mesma medicação melhora a concentração e produtividade em adultos sem TDAH, tornando o diagnóstico um pouco problemático. Logo, se você suspeitar que tem TDAH, certamente vale a pena tentar batidas binaurais ao longo de algumas semanas para ver se você pode curar os sintomas de forma holística.

Combinando Meditação & Batidas binaurais.

Se você definitivamente têm TDAH, mas os sintomas são bem leves, você pode ser capaz de tratá-los com batidas binaurais. No entanto, se os sintomas são muito mais sérios, então uma combinação dos dois será uma solução mais apropriada. Não há nada que impeça você de melhorar o seu tratamento com batidas binaurais. Se o fizer, terá benefícios a longo prazo, porque estímulos durante muito tempo provocará uma mudança permanente, o que significa que em algum momento no futuro, você pode ser capaz de reduzir a quantidade de medicação que você toma.

Alguns dos benefícios da meditação binaural:

  • Aumenta a capacidade de concentração, memória e retenção de informação para aprender mais rapidamente
  • Melhora a qualidade do sono
  • Aumenta a criatividade
  • Balanceia os hemisférios cerebrais

Se você quer saber mais sobre meditação binaural para TDAH, recomendo este site.
www.meditacaobinaural.com

7 Dicas Para Mulheres Com TDAH

7 Dicas Para Mulheres Com TDAH

Muitas mulheres sentem um grande alívio quando descobrem que possuem TDAH. Elas se sentem felizes por ser “apenas” TDAH, porque, antes do diagnóstico, elas se culpavam por seus problemas. Muitas mulheres com TDAH se sentem inadequadas e estúpidas.

Possuir TDAH não é um reflexo da sua inteligência. De fato, muitas pessoas com TDAH são extremamente brilhantes e possuem inteligência acima da média.

Porém, muitas mulheres presumem que o motivo pelo qual elas não conseguem dominar tarefas do dia-a-dia que outras pessoas fazem aparentemente sem esforço é porque elas não são inteligentes.

Elas podem experimentar algo como:

  • Angústia psicológica
  • Se sentir sobrecarregada e exausta
  • Um sentimento de inadequação
  • Baixa autoestima
  • Stress crônico
  • Se sentir fora de controle

Ainda, quando você descobre que tem TDAH, o sentimento de inadequação pode desaparecer, o que a coloca em uma melhor posição para tratar e lidar com os sintomas do TDAH.

Por que eu não sabia que tinha TDAH quando eu estava na escola?

Geralmente, meninas com TDAH são menos hiperativas e mais desatentas, este é um dos motivos pelos quais meninas são menos diagnosticadas do que meninos. É mais fácil para um professor notar um menino hiperativo do que uma menina distraída.

Existem outras razões também. Uma menina inteligente com TDAH pode esconder com sucesso seu TDAH enquanto está na escola. A escola fornece estrutura e prazos, duas coisas que ajudam muito quando você tem TDAH.

Salas de aula são pequenas o suficiente para ela desenvolver um relacionamento com seus professores, o que dá uma motivação extra para estudar e cumprir tarefas no tempo certo.

Meninas se preocupam mais com o que as outras pessoas pensam do que os meninos. Elas fazem o melhor para se encaixar nas expectativas dos professores e dos colegas de classe.

Isto pode levar ao perfeccionismo e à ansiedade; porém, se as notas são boas, normalmente ninguém nota nenhum sinal de alerta.

Depois de se formar no ensino médio, os problemas podem começar a aparecer. Quando a estrutura da escola não está mais presente e o nível acadêmico é mais alto, os sintomas do TDAH podem começar a causar problemas. O mesmo acontece no ambiente de trabalho, onde é exigido que você gerencie seu próprio tempo e não há muitas exigências externas.

Mulheres têm hiperatividade?

Sim, mulheres podem ser diagnosticadas com TDAH hiperativo-impulsivo, porém menos frequente do que mulheres com TDAH desatento. Ter hiperatividade traz seus próprios desafios. Por exemplo, é difícil para uma mulher hiperativa se encaixar no comportamento padrão aceitável para meninas e mulheres.

Se você possui TDAH hiperativo-impulsivo ou um tipo combinado, você pode se achar masculina, porque o seu comportamento parece diferente do que a sociedade espera para uma garota. Você pode sentir que tem mais energia física do que suas colegas e ser acusada de falar demais.

Por parecer diferente, você pode ter memórias de se sentir rejeitada, julgada e excluída por seus colegas. A rejeição pode continuar durante a idade adulta também.

Mulheres e a Casa

Mulheres com TDAH têm uma fonte adicional de vergonha e culpa, que homens com TDAH não possuem normalmente, isso tem a ver com cuidar da casa. Tradicionalmente, as mulheres são encarregadas de cuidar da casa, do trabalho doméstico, da lavanderia, das compras, de planejar refeições, cozinhar, cuidar dos filhos e, muitas vezes, fazer orçamentos e pagar as contas.

Infelizmente, para pessoas com TDAH, estas coisas são muito difíceis. São tarefas comuns sem nenhum prazo externo.

Não importa o quanto seu parceiro é compreensivo, que vivemos no século 21 ou que você trabalha fora de casa, muitas mulheres sentem que deveriam ser boas nestas tarefas. Esta pode ser uma área de problemas constantes e pode diminuir sua autoestima.

Veja também47 truques que podem mudar a vida de quem tem TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)

7 Dicas para viver da melhor maneira se você é uma mulher com TDAH

  1. Seja diagnosticada: Se você desconfia que possui TDAH mas ainda não foi oficialmente diagnosticada, torne isto sua prioridade! Ser diagnosticada tem um efeito muito positivo em como você se sente sobre você mesma. Um estudo descobriu que mulheres são capazes de perdoar a si mesmas por erros do passado e sentem maior controle sobre suas vidas uma vez que são diagnosticadas com TDAH. Saber que não estão loucas e que tem um nome para o que elas estão passando traz uma grande sensação de alívio.
  2. Condições Coexistentes: TDAH raramente está sozinho, o que significa que você pode ter uma ou mais condições além do TDAH. Tente não se assustar. Saber quais condições você possui te permite tratar cada uma diretamente, o que quer dizer que você pode ficar no seu melhor estado de saúde. As condições coexistentes mais comuns em mulheres com TDAH são: depressão, ansiedade, alcoolismo, transtornos alimentares e insônia crônica. Algumas vezes, pode ser difícil saber qual condição é qual, porque elas podem mascarar umas às outras, por isso, trabalhe próxima a seu médico para identificar quais você possui.
  3. Abandone a culpa pelo trabalho doméstico: Não se sinta culpada ou envergonhada se a sua casa não é tão organizada quanto as dos seus vizinhos. Existem coisas mais importantes para se preocupar. Aprenda sobre maneiras compatíveis com o TDAH para organizar e limpar sua casa, mas não deixe isso abalar sua confiança. Além disso, tudo bem contratar alguém para limpar a sua casa ou deixar seu parceiro fazer as coisas que você não é tão boa, enquanto você foca em tarefas mais fáceis para você.
  4. Dirigir: Mulheres com TDAH desatento têm um risco maior de se envolver em acidentes enquanto dirigem por causa da sua falta de atenção. Aqui vão algumas dicas de estratégias para dirigir com segurança. Considere dirigir um carro com câmbio manual ao invés de automático porque isso te faz se concentrar mais no que você está fazendo e é menos provável que você se distraia. Antes de começar a dirigir, desligue o seu celular – mesmo se estiver com fones de ouvido. Nunca beba e dirija ou use drogas recreativas, pois elas diminuem sua atenção.
  5. Perfeccionismo: Abandone a necessidade de ser perfeita. Buscar a perfeição pode te ajudar a se manter no controle, mas você pode perceber que está gastando muito tempo com coisas pequenas que não têm um grande impacto na sua vida ao invés de tarefas mais importantes. Por exemplo, você pode passar horas procurando uma fonte perfeita para um relatório do trabalho, enquanto deixa de começar uma apresentação para amanhã. Quando você tem altos padrões para si mesma, a pressão interna para ser perfeita pode te impedir de começar uma tarefa porque parece desgastante.
  6. Rapidez: Muitas mulheres dizem que levam mais tempo para fazer coisas do que as outras pessoas. Por exemplo, tarefas comuns do trabalho como responder e-mails, preencher formulários e planilhas, ou trabalho doméstico. Se isto for verdade para você, então o que você precisa perceber é que existem algumas coisas que você pode fazer em uma velocidade recorde. Pode ser resolver problemas ou criar um plano de marketing. Começando hoje, comece a notar o que você parece fazer mais rápido do que as outras pessoas. Isto não é uma competição, mas vai te ajudar a perceber que, enquanto tem algumas coisas que você leva mais tempo para fazer, você possui outros talentos que você pode não estar acostumada a reconhecer. Quando você consegue ter um olhar equilibrado sobre seus pontos fortes e fracos, isto irá ajudar a aumentar sua confiança e autoestima.
  7. Hiperatividade: Se você tem hiperatividade, procure um exercício ou esporte e tire um tempo todos os dias para praticar, se possível, de manhã. Isto irá te ajudar a se sentir concentrada e calma. Você pode perceber que tem mais amigos homens do que amigas, e tudo bem se tiver! Enquanto alguns amigos podem dizer que se sentem cansados com a sua energia, isto também te ajuda a se sentir 15 anos mais jovem. Você pode usar isto de várias maneiras positivas. Eu conheço uma mulher hiperativa que está em todos os eventos de caridade da sua comunidade. Todos querem que ela esteja envolvida, por causa da sua energia incansável.

Artigo original

Dica de livro: Transforme SEU CÉREBRO, transforme SUA VIDA

Dica de livro: Transforme SEU CÉREBRO, transforme SUA VIDA

Você tem TDAH e quer empreender uma verdadeira transformação na sua vida? Se informe, estude e leia, leia e leia. Existe uma bibliografia vasta na área e em campos, que não sendo específicos de TDAH, podem ajudá-lo(a) verdadeiramente a viver de uma forma mais harmoniosa com essa questão. Confira já uma dica de leitura que pode transformar a sua vidae que vai mudar a forma como o seu cérebro funciona, para sempre!

“Transforme seu cérebro, transforme sua vida” de Daniel G. Amen

Daniel G. Amen é um neurocientista e psiquiatra que está revolucionando algumas abordagens a patologias como a insônia, síndrome do pânico, TDAH e diversas fobias. O livro não fala especificamente sobre TDAH no seu todo, apesar de alguns capítulos mencionarem a questão. Contudo, são apresentados relatos de pacientes que passaram pelo consultório de Daniel, fornecendo a visão da neurociência em relação a cada uma das descrições. São dadas algumas dicas de alimentação, como o consumo de ômega3, que podem ajudar a superar de forma mais leve algumas patologias. Em particular, são oferecidas orientações nutricionais para quem vive com TDAH.

 

transforme-seu-cerebro-transforme-sua-vida-tdah

daniel-g-amen

 

 

 

 

 

 

Daniel G. Amen criou também a teoria dos sete tipos de TDAH. Normalmente existe a ideia de que a pessoa é hiperativa ou distraída, mas na realidade existem diferentes subcategorias para o problema e o autor apresenta-as.

O autor traz para discussão novas formas e
abordagens para lidar com patologias, cuja única forma de resolução, no passado, seria a medicação

Atualmente, a ciência permite quase que apresentar um raio-x do cérebro, mostrando qual a área especifica do cérebro que está relacionada com uma determinada doença. Não é segredo para ninguém que o TDAH está ligado ao funcionamento do lóbulo frontal e esse é um dado essencial para uma compreensão profunda da doença e formas de superá-la. A grande sacada do trabalho de Daniel G. Amen é oferecer ao público uma verdadeira esperança de que, por exemplo, a alimentação pode substituir os fármacos, no combate aos sintomas de TDAH.

Para dar a volta em patologias da mente, o essencial é começar a ver os problemas de uma forma completamente diferente, sair da caixa e aprender formas verdadeiramente eficazes de nutrir o seu cérebro.

 

Se você gostou dessa dica e pretende ler o livro, não deixe de assinar o canal ou compartilhar nas redes sociais! Em caso de dúvida, sugestão ou para compartilhar uma experiência, deixe o seu comentário!

Como CONTROLAR a mente TDAH

Como CONTROLAR a mente TDAH

Sabe aquele pensamento chato que passa na sua cabeça quando você menos espera? Ou então aquela voz interna que fica te dizendo coisas que, na verdade, atrapalham realizações que você efetivamente quer fazer e te deixam feliz?
Você quer aprender como eliminar pensamentos negativos e controlar sua mente? Se a sua resposta foi sim, venha conferir um método infalível para mudar a sua vida de vez!

Você não precisa de tecnologia NASA para resolver de vez os seus problemas. Você precisa apenas de um elástico de papelaria! Venha descobrir como!

Assim que começar o seu dia, você vai colocar o elástico no seu pulso direito ou esquerdo, aquele que for mais confortável para você. Depois que fizer isso, você vai seguir o seu dia normalmente. A magia vai começar acontecendo na hora que vier um pensamento negativo ou uma memória que você quer eliminar. Nesse momento você vai puxar o elástico no seu pulso e vai soltar. Isso mesmo, você não entendeu mal! Toda a vez que aquela voz desagradável surgir em sua mente, você vai puxar o elástico e soltar. Com o passar dos dias, a mudança vai começar a surgir em você. Pode acreditar!

Mas porque essa pequena dor provocada por um elástico vai mudar minha mente?

O que acontece na realidade é que, sempre que você tem um pensamento ruim e puxa o elástico, o seu cérebro interpreta que aquela pequena dor física está associada com uma ideia negativa. Quer isso dizer que, se você tem um pensamento desadequado e isso se traduz numa dor física, o seu cérebro naturalmente começa a eliminar essas formas de pensar de modo a você não sentir o desconforto causado pelo elástico. A magia acontece!!! Você precisa saber que um dos instintos básicos do ser humano é a fuga à dor. Como tal, se você associa um pensamento negativo com uma dor que você consegue sentir e medir, o seu instinto básico começa funcionando e naturalmente esse padrão de reflexão pessimista desaparece.

Não está convencido(a)? Vamos fazer um acordo? Você tenta e depois me diz!
Na psicologia, esse método é definido como reflexo condicionado. É simples: uma ação causa uma reação. Ação: pensamento. Reação: dor provocada pelo elástico.

Você quer conferir mais dicas de sobrevivência para TDAH? Se inscreva no canal e curta nas redes sociais! Em caso de dúvida ou sugestão, deixe o seu comentário!

Como parar de ESQUECER o NOME das PESSOAS de uma vez por todas

Como parar de ESQUECER o NOME das PESSOAS de uma vez por todas

Nosso cérebro é uma máquina poderosíssima, a qual deixa cientistas e pesquisadores intrigados com o seu funcionamento. Estudos nunca são suficientes para compreender, por completo, todo o poder que esse órgão compreende, e é por esse motivo que, quando ele falha, alguns danos acontecem.

Nem sempre quando o cérebro não corresponde aos estímulos, esquecendo alguma coisa ou demorando para entender um problema matemático, por exemplo, significa que ele está doente ou precisando de cuidados específicos.
É normal que os seres humanos tenham esses momentos de relapso, levando em consideração que a maioria das pessoas possui uma rotina agitada, com muitas coisas para fazer e pensar ao mesmo tempo.

Porém, como sabemos, as pessoas são diferentes umas das outras, em todos os sentidos. Enquanto umas não esquecem praticamente nenhum compromisso, outras esquecem com muita facilidade, e assim por diante. No entanto, a situação mais comum e que, em geral, todo mundo um dia já passou, é esquecer os nomes de pessoas que pouco convivemos.

Dificilmente alguém nunca passou pela situação a seguir: andando na rua, uma pessoa chega e te cumprimenta, dizendo teu nome, perguntando se está tudo bem, etc. E você, infelizmente, não sabe o nome dela e, muitas vezes, não lembra nem onde foi que vocês se conheceram. Situação complicada, não é mesmo?
Para dar um jeito nisso, tanto para quem tem problema de memória, quanto para quem não sente tanta dificuldade em lembrar das informações, existem algumas maneiras de se comportar, a fim de tentar reverter esse quadro de esquecimento repentino. São coisas simples e fáceis que, ao serem colocadas em prática, podem ajudar e muito nesses casos.

Lembrando os nomes

Ao ser apresentado a uma nova pessoa, tente sempre prestar atenção quando ela disser o nome. Após isso, repita o nome dela várias vezes durante a conversa, empregue-o em frases como: “Prazer em te conhecer, Rafael. ” “O que você faz da vida, Rafael? ” “Rafael, você teria alguma dica para me dar em relação ao assunto X? ”.
Dessa forma, fica difícil de esquecer o nome do outro, mas cuidado para não se tornar repetitivo demais, fazendo com que a pessoa note a tática.
Esse método tende a funcionar, mais ainda, quando o nome é diferente, estranho, ou nunca antes ouvido por você. Nesses casos, torna-se mais difícil ainda decorá-lo, e, por isso, repeti-lo pode ser a única chance de gravar na mente.

Seja criativo

Relacione o nome da pessoa a coisas ou a outras pessoas que você já conhece e que são chamadas da mesma forma. A parte criativa do cérebro tende a gravar melhor as informações quando relacionadas a coisas distintas.
Esse método é muito usado por estudantes, para lembrar a matéria estudada na hora da prova, por exemplo.
É claro que uma saúde controlada, boa alimentação, um corpo livre de vícios como cigarro e bebidas alcoólicas, sempre ajudam a defender o cérebro e todo o resto de problemas ainda mais graves que um simples esquecimento. Por isso, cuide-se e exercite a mente todos os dias!

Dúvidas, sugestões? Deixe um comentário abaixo  😉

Os 7 tipos de TDAH e como identifica-los

Os 7 tipos de TDAH e como identifica-los

Você sabia que não existe apenas um tipo de TDAH? Duas pessoas diagnosticadas com TDAH podem ter sintomas diferentes, e por isso tratamentos diferentes, segundo Dr Daniel Amen autor do livro “Transforme se cérebro transforme sua vida”

O Distúrbio do Déficit de Atenção é um dos problemas de desenvolvimento mais bem reconhecidos da infância.

Mas ele não termina na infância. Você sabia que um total de 60% daqueles que foram diagnosticados com TDAH na infância vão continuar a ter problemas que afetam o seu funcionamento como adultos? É verdade. E o TDAH pode voar sob o radar em adultos que nunca foram diagnosticados na infância.

Mesmo que as taxas de prevalência não sejam totalmente claras para adultos, como mencionado anteriormente, elas estão estimadas em um alcance entre 4% a 5%.

Há um monte de adultos que lutam com problemas de atenção! Além disso, o TDAH permanece como uma das doenças mais mal compreendidas e tratadas incorretamente nos dias atuais.

Felizmente  isso está mudando.

Usando técnicas de diagnóstico avançadas, o Dr. Amen descobriu que existem 7 tipos distintos de TDAH, cada um exigindo um tratamento diferente.

Essa é uma boa notícia, pois mais pessoas podem ser ajudadas com tratamentos que são adaptados para o tipo específico de TDAH.

Mas o primeiro passo no tratamento do TDAH é determinar se você o tem.

7 tipos de tdah infografico Aqui estão vários comportamentos de identificação para serem procurados

– e os 7 tipos de TDAH revelaram que:

Há cinco sintomas característicos e duradouros do TDAH:

  1. Atenção de curto prazo: Pessoas com TDAH têm dificuldade com tarefas chatas (tais como as tarefas rotineiras e regulares) e precisam de estimulação ou excitação para permanecerem nelas. Muitas pessoas com TDAH podem prestar atenção apenas em coisas que são novas, interessantes, altamente estimulantes, ou assustadoras.
  2. Distração: Pessoas com TDAH tendem a prestar mais atenção no ambiente deles do que outros, o que os torna facilmente distraídos por estímulos externos, tais como luzes, sons, cheiros, certos gostos ou até mesmo as roupas que estão vestindo. A aguçada sensibilidade faz com que eles facilmente se distraiam da tarefa.
  3. Desorganização: Muitas pessoas com TDAH tendem a lutar com a organização do tempo e do espaço. Elas tendem ao atraso e têm problemas para completar tarefas a tempo. Muitas coisas são feitas no último momento ou até mais tarde. Elas também tendem a lutar para manter seus espaços arrumados, especialmente seus quartos, bolsas de livros, estantes, gavetas, armários e papelada.
  4. Procrastinação: Tarefas e deveres são postos de lado até o último momento. As coisas não tendem a ficarem prontas até que exista um prazo final ou que alguém fique muito bravo por não terem sido feitas.
  5. Baixo autocontrole: Muitas pessoas com TDAH têm problemas com julgamento e controle de impulsos, e lutam para não dizer ou fazer coisas sem pensar completamente sobre isso. Elas também possuem mais dificuldade em aprender com seus erros.

Você precisa de pelo menos três destes sintomas por um longo período de tempo, e esses sintomas, de alguma maneira, devem interferir em sua vida.

Aqui está uma breve descrição de cada tipo de TDAH em tradução livre:

Tipo 1. TDAH Clássico (TDAH) – desatento, distraído, desorganizado, hiperativo, agitado e impulsivo.

Tipo 2. TDAH de Desatenção – desatento, facilmente distraído, desorganizado, e muitas vezes descrito como cadetes do espaço, sonhadores, e batatas de sofá. Não hiperativo!

Tipo 3. TDAH Mais Concentrado – desatento, problemas de desvio de atenção, frequentemente fica preso em circuitos de pensamentos e comportamento negativos, obsessivo, preocupação excessiva, inflexivo, frequente comportamento argumentativo e de oposição. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 4. TDAH Lobo Temporal – desatento, facilmente distraído, desorganizado, irritável, pavio curto, pensamentos obscuros, instabilidade no humor, e pode lutar com dificuldades de aprendizagem. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 5. TDAH Límbico – desatento, facilmente distraído, desorganizado, tristeza crônica de baixo grau ou negatividade, “síndrome do copo meio vazio”, baixa energia, tende a ser mais isolado socialmente, e frequentes sentimentos de desesperança e inutilidade. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 6. TDAH Anel de Fogo – desatento, facilmente distraído, irritável, demasiado sensível, ciclos de mau humor e de oposição. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 7. TDAH de Ansiedade – desatento, facilmente distraído, desorganizado, ansioso, tenso, nervoso, prevê o pior, fica ansioso com testes cronometrados, ansiedade social, e com frequência tem sintomas físicos de estresse, tais como dores de cabeça e sintomas gastrointestinais. Pode ou não ser hiperativo.

Lembrando que essas denominações são apenas uma tradução livre feita por mim pois ainda não existe uma denominação oficial em português.

Se você acha que você ou um ente querido pode ter TDAH, faça nosso questionário online para aprender mais.

Sobre o autor da teoria:

daniel amenDaniel Gregory Amen é um psiquiatra americano e um especialista em distúrbios no cérebro. É diretor da Clínica Amen e também é um autor best-seller do New York Times. Sua clínica trabalha com serviços para pessoas com problemas de distúrbio de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), além de outros distúrbios.

Daniel Amen ainda trabalha como professor clínico assistente de psiquiatria e comportamento humano na Universidade da Califórnia.

Como curiosidade, o Dr. Daniel Amen também é um consultor de pós-concussão pela Liga Nacional de Futebol Americano (NFL) nos Estados Unidos, pois o médico tem feito estudos sobre as lesões cerebrais que afetam os atletas profissionais.

O psiquiatra tem mais de 30 livros publicados, mas poucos foram traduzidos para o português.

Alguns deles traduzidos para o Brasil e que se tornaram sucessos são:

  • Transforme Seu Cérebro Transforme Sua Vida,
  • Use Seu Cérebro Para Mudar Sua Idade,
  • Mude Seu Cérebro, Mude Seu Corpo.

É isso ai, espero que tenha gostado deste artigo. Em breve vou trazer para você um teste no qual você poderar saber qual tipo de TDAH é você com mais certeza. Qualquer dúvida ou sugestão um comentário é sempre bem vindo.

Até a próxima