Escolha uma Página
Como parar de ESQUECER o NOME das PESSOAS de uma vez por todas

Como parar de ESQUECER o NOME das PESSOAS de uma vez por todas

Nosso cérebro é uma máquina poderosíssima, a qual deixa cientistas e pesquisadores intrigados com o seu funcionamento. Estudos nunca são suficientes para compreender, por completo, todo o poder que esse órgão compreende, e é por esse motivo que, quando ele falha, alguns danos acontecem.

Nem sempre quando o cérebro não corresponde aos estímulos, esquecendo alguma coisa ou demorando para entender um problema matemático, por exemplo, significa que ele está doente ou precisando de cuidados específicos.
É normal que os seres humanos tenham esses momentos de relapso, levando em consideração que a maioria das pessoas possui uma rotina agitada, com muitas coisas para fazer e pensar ao mesmo tempo.

Porém, como sabemos, as pessoas são diferentes umas das outras, em todos os sentidos. Enquanto umas não esquecem praticamente nenhum compromisso, outras esquecem com muita facilidade, e assim por diante. No entanto, a situação mais comum e que, em geral, todo mundo um dia já passou, é esquecer os nomes de pessoas que pouco convivemos.

Dificilmente alguém nunca passou pela situação a seguir: andando na rua, uma pessoa chega e te cumprimenta, dizendo teu nome, perguntando se está tudo bem, etc. E você, infelizmente, não sabe o nome dela e, muitas vezes, não lembra nem onde foi que vocês se conheceram. Situação complicada, não é mesmo?
Para dar um jeito nisso, tanto para quem tem problema de memória, quanto para quem não sente tanta dificuldade em lembrar das informações, existem algumas maneiras de se comportar, a fim de tentar reverter esse quadro de esquecimento repentino. São coisas simples e fáceis que, ao serem colocadas em prática, podem ajudar e muito nesses casos.

Lembrando os nomes

Ao ser apresentado a uma nova pessoa, tente sempre prestar atenção quando ela disser o nome. Após isso, repita o nome dela várias vezes durante a conversa, empregue-o em frases como: “Prazer em te conhecer, Rafael. ” “O que você faz da vida, Rafael? ” “Rafael, você teria alguma dica para me dar em relação ao assunto X? ”.
Dessa forma, fica difícil de esquecer o nome do outro, mas cuidado para não se tornar repetitivo demais, fazendo com que a pessoa note a tática.
Esse método tende a funcionar, mais ainda, quando o nome é diferente, estranho, ou nunca antes ouvido por você. Nesses casos, torna-se mais difícil ainda decorá-lo, e, por isso, repeti-lo pode ser a única chance de gravar na mente.

Seja criativo

Relacione o nome da pessoa a coisas ou a outras pessoas que você já conhece e que são chamadas da mesma forma. A parte criativa do cérebro tende a gravar melhor as informações quando relacionadas a coisas distintas.
Esse método é muito usado por estudantes, para lembrar a matéria estudada na hora da prova, por exemplo.
É claro que uma saúde controlada, boa alimentação, um corpo livre de vícios como cigarro e bebidas alcoólicas, sempre ajudam a defender o cérebro e todo o resto de problemas ainda mais graves que um simples esquecimento. Por isso, cuide-se e exercite a mente todos os dias!

Dúvidas, sugestões? Deixe um comentário abaixo  😉

Como a MEDITAÇÃO pode ajudar adultos com TDAH a aumentar a produtividade

Como a MEDITAÇÃO pode ajudar adultos com TDAH a aumentar a produtividade

Você sabia que a meditação pode aumentar sua produtividade?

Nosso dia a dia está cheio de problemas, barulhos, distrações, pressa; tudo isso gera bastante estresse, isso faz com que nossa mente saia do momento presente, aumenta a nossa distração, ansiedade e acaba por tirar nossos momentos de tranquilidade

Principalmente hoje com a crise econômica que assola nosso país, muitas pessoas estão procurando uma maneira de encontrar o equilíbrio para suas vidas, muitas técnicas de autoconhecimento estão ganhando força, como Coaching, PNL, Hipnose e uma delas é a meditação.

Mas, o que é a Meditação?

A meditação é um processo através do qual você pode aprender a treinar sua mente para mantê-la no momento presente , ignorando aquela voz interior chata que fica lembrando de momentos ruins, te julgando e até mesmo impendindo você de crescer com crenças limitantes fazendo você deixar de viver o momento presente

Mas o que a meditação tem a ver com produtividade?

Acontece que a produtividade pessoal consiste sobretudo em ser capaz de controlar sua atenção: se você for capaz de focar sua mente em uma tarefa especifica isso te torna uma pessoa mais produtiva

O problema é que nossa mente é difícil de controlar. Normalmente ela vai de um lado para o outro , e isso influencia negativamente sobre a produtividade.

O fato de não conseguirmos nos manter concentrados tem a ver com a quantidade de problemas diários que nós enfrentamos e a falta de capacidade de viver o momento presente.

No mundo dos negócios , muitas empresas descobriram que a meditação é uma excelente ferramenta para ajudar seus funcionários a ficar mais equilibrados e, portanto, mais produtivos.

A Google, uma é empresa que tem sido caracterizada por ser muito inovadora na sua área de Recursos Humanos , em 2007 iniciou um programa conduzido por Meng Tan Chade- chamado “Busque entro de você

Este programa foi baseado na premissa de que a inteligência emocional ajuda a aumentar a produtividade, criatividade e felicidade ; e os dois principais pilares deste programa foram meditação e pensamento positivo.

De acordo com Chade Tang, uma pessoa emocionalmente saudável, você pode se tornar mais produtivo e criativo. Por isso o Google está sempre à procura de trabalhadores felizes porque sabem que produzem mais e melhor .”

Além do Google , existem várias outras empresas que assumiram que a produtividade dos funcionários aumentam com a meditação.

Um outro caso é Torre Co, uma empresa que conseguiu reduzir os níveis de faltas e aumentar a produtividade , uma vez que começou a oferecer a seus empregados aulas de meditação gratuita .

Assim como empresas como a Coca-Cola e Reebok, ou até universidades de prestígio como Harvard , reduziram os conflitos laborais e os trabalhadores têm mostrado uma maior disposição para o trabalho, graças à meditação.

Como a meditação ajuda você a ser mais produtivo?

• A meditação vai ajudar a reduzir o estresse

O estresse é um dos maiores assassinos de produtividade, e através da meditação você pode aprender a controlá-lo.

•Praticar meditação melhorar a sua concentração

Através da meditação você aprender a controlar sua mente e para de perder tempo pensando sobre muitas coisas ao mesmo tempo .

•Você começa a clareza mental

Clareza mental é essencial para uma boa de tomada de decisão , e é um dos grandes benefícios que a meditação lhe dá.

•Meditação ajuda você a melhorar seus relacionamentos pessoais

Trabalharem um ambiente com relações de trabalho ruins é mais um ingrediente para minar a sua produtividade ; e até mesmo a meditação não vai fazer alguns de seus colegas deixarem de ser tóxicos, mas ela vai ajudá-lo a melhorar a forma como você se relaciona com eles.

infografico meditacao ajuda tdah produtividade

Clique na imagem para amplia-la

Mas meditação não é apenas para budistas e outros religiosos?

Existem diversos tipos de meditação, uma das mais recomendas hoje em dia é o Mindfulness que é uma meditação sem nenhum cunho religioso que pode ser praticada por qualquer pessoas e em qualquer lugar

Em suma , a meditação é uma prática que beneficia muito em sua produtividade pessoal . Se você quiser aprender a meditar deixe seu comentário abaixo que eu farei um artigo ou video sobre o assunto.

Forte abraço 😉
Gostou esse artigo? Deixe um comentário

Os efeitos da alimentação nos sintomas do TDAH

Os efeitos da alimentação nos sintomas do TDAH

 

Uma dieta de alimentos processados, alergias alimentares e sensibilidades, e aditivos alimentares podem contribuir para os sintomas do TDAH. Saiba como o TDAH e a dieta estão relacionados.

Encontrar um tratamento eficaz para o TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade) é complicado.

O TDAH é uma condição multifacetada, com cerca de 50 causas subjacentes. (Veja aqui 47 dicas para ajudar você a viver melhor com TDAH)

Os medicamentos prescritos geralmente não funcionam para todos, raramente trazem mais do que um alívio parcial e têm efeitos colaterais desagradáveis.

Assim, não é de se admirar que as pessoas estejam à procura de melhores opções!

A comunidade médica é muito cética em relação às opções de tratamentos alternativos para o TDAH, incluindo dietas especiais para o TDAH.

Mas quando você considera que o alimento que você come produz os blocos de construção do seu cérebro e produz as químicas do mesmo, melhorar sua dieta faz um sentido comum.

Há duas maneiras em que sua dieta pode afetar o TDAH.

Você pode estar comendo alimentos que agravam os sintomas ou pode estar faltando nutrientes que seu cérebro necessita para funcionar na sua melhor forma.

Primeiro, vamos ver como uma dieta saudável para o cérebro e o TDAH deve se assimilar, então vamos abordar os piores criminosos na dieta que devem ser evitados.

O Que Comer: A Dieta Para o TDAH Feita de Forma Simples.

Conselhos para uma dieta tendem a ser desnecessariamente complicados.

Por isso vou simplificar:

Se você quiser comer para nutrir seu cérebro, aqui está o melhor (e mais efetivo) conselho que você irá receber:

Coma. Comida. De. Verdade.

Realmente, este conselho é simples, mas certamente não é fácil!

Seu cérebro precisa de alimentos reais para os seus hidratos de carbono complexos (para energia), proteínas (para criar os produtos químicos do cérebro), e gorduras saudáveis (para construir células cerebrais saudáveis).

Ele também precisa de micronutrientes – vitaminas, minerais, antioxidantes e fitonutrientes – para criar novas células cerebrais, proteger e reparar as já existentes.

Você vai encontrar isso em frutas e vegetais frescos, carnes, aves, frutos do mar, ovos, nozes, ervas e especiarias, e gorduras cerebrais saudáveis como no azeite e no óleo de coco.

Obviamente, nem todos podem comer todos os alimentos já que alergias alimentares e sensibilidades desempenham um grande papel no TDAH.

Mas comer alimentares não processados tanto quanto possível irá ser um longo caminho para se livrar dos piores criminosos, como o açúcar, adoçantes artificiais, glutamato de sódio, corantes e outros aditivos alimentares.

Alergias Alimentares, Intolerâncias E Sensibilidades: Qual É A Diferença?

Os termos alergias alimentares, intolerâncias alimentares e sensibilidades alimentares são frequentemente usados como sinônimos, mas eles não são exatamente os mesmos.

Alergias alimentares verdadeiras ocorrem devido a uma reação exagerada do sistema imunológico.

Intolerâncias ocorrem quando faltam enzimas para digerir um alimento, como na intolerância à lactose.

Sensibilidades alimentares são reações desagradáveis aos alimentos, tais como refluxo ácido, náuseas ou cólicas abdominais.

Dietas Para O TDAH Que Especialistas Do Cérebro Recomendam.

Enquanto a maioria dos profissionais médicos não acredita que a dieta tem muito efeito sobre o TDAH, nem todos concordam.

Aqui está o que especialistas notáveis em saúde cerebral que acreditam em tratamentos alternativos têm a dizer sobre o TDAH e a dieta:

O Dr. Mark Hyman, autor do livro The UltraMind Solution, acredita que a causa raiz do TDAH, bem como outros distúrbios cerebrais comuns, como autismo, depressão e doença de Alzheimer é a inflamação do cérebro.

As causas nutricionais mais comuns de inflamação cerebral são o açúcar, a gordura trans e alérgenos alimentares.

Ele recomenda dar ao seu sistema uma pausa dos dois piores alérgenos alimentares – trigo e leite – por seis semanas para ver se isso ajuda no seu TDAH.

O Dr. David Perlmutter é um neurologista e autor do best-seller Grain Brain: The Surprising Truth about Wheat, Carbs, and Sugar – Your Brain’s Silent Killers.

Para o TDAH, ele recomenda reduzir substancialmente o açúcar e os carboidratos refinados, enfatizando as gorduras saudáveis para o cérebro em alimentos como azeite de oliva, óleo de coco, nozes, sementes, peixes selvagens, ovos, manteiga e abacates.

Ele também recomenda manter o controle com a sensibilidade ao glúten, que está associada a problemas de atenção.

O Dr. Daniel Amen é um renomado psiquiatra, especialista em distúrbios cerebrais, com nove livros mais vendidos como crédito.

Em Healing ADD, o Dr. Amen recomenda comer alguma proteína em cada refeição, com baixo índice glicêmico, altas fontes de fibra de carboidratos (frutas e legumes), e enfatizar gorduras saudáveis.

Na Clínica Amen, os pacientes são colocados em uma dieta de eliminação de três semanas.

Em uma entrevista com a ADDitude, uma revista popular para pessoas com déficit de atenção, o Dr. Amen expressou, “É incrível como muitos adultos e crianças se sentem melhor quando eles eliminam os alimentos que contêm produtos lácteos, trigo, milho, soja ou açúcar”.

Dieta De Eliminação TDAH

Mesmo que você esteja comendo alimentos saudáveis não processados, você ainda pode estar reagindo a alimentos em sua dieta.

Ao colocar crianças em uma dieta de eliminação, um estudo descobriu que um gritante número de 64% deles tinham sintomas de TDAH causados por sensibilidade a certos alimentos.

Como é esta dieta de eliminação?

Ela consiste principalmente de arroz, carne, legumes e peras por 5 semanas.

Você pode criar sua própria dieta de eliminação.

Você pode começar por eliminar qualquer alimento que você suspeitar ser um problema por quatro semanas e veja se você nota qualquer melhoria.

Se você não sabe por onde começar, dê uma olhada nos alimentos pelos quais você implora ou come para se sentir melhor.

Ironicamente, estes são muitas vezes os alimentos aos quais você é alérgico.

Ou você pode seguir o conselho do Dr. Hyman e eliminar produtos lácteos e trigo.

O Dr. Perlmutter recomenda que você remova não apenas o trigo, mas todos os grãos que contêm glúten como a aveia, o centeio e a cevada.

Se isso não ajudar, passe para o regime do Dr. Amin eliminando lacticínios, trigo, milho, soja e açúcar.

Se precisar de mais orientação, você pode baixar o folheto de dieta de eliminação da Universidade de Wisconsin que contém um plano passo-a-passo.

Isso tudo pode levar a algumas tentativas e erros, mas vai valer a pena se ajudar você a lidar com a causa subjacente do seu TDAH.

Esta dieta de eliminação feita por você mesmo é destinada a adultos com TDAH.

Antes de tentar colocar uma criança em uma dieta de eliminação, fale com o seu pediatra.

Alimentos Para Evitar o TDAH

Comer alimentos não processados irá ajudá-lo a eliminar os piores contribuintes dietéticos para o TDAH.

Você viu como uma dieta para o TDAH deve ser em geral, mas quando se trata do funcionamento do cérebro o problema maior está nos detalhes.

Vamos dar uma olhada em algumas substâncias dos alimentos que poderiam ser uma causa oculta do seu TDAH.

Açúcar e o TDAHo acucar e o tdah

Profissionais de saúde alternativos muitas vezes acusam o açúcar como causador do TDAH, mas a medicina tradicional firmemente alega que o açúcar não é um problema.

Muitas mães de crianças com TDAH discordam totalmente.

Considerando que o açúcar é um problema enorme para a nossa saúde e para os nossos cérebros de diversas maneiras, a inocência do açúcar parece improvável.

O açúcar refinado coloca o açúcar do seu sangue em um passeio de montanha russa.

Quando o nível de glicose do seu cérebro aumenta, leva a alterações de humor, irritabilidade, cansaço, confusão mental e julgamento prejudicado.

Glucose excessiva afeta a sua capacidade de atenção, sua memória de curto prazo e a estabilidade do seu humor.

Uma dieta que é rica em açúcar e gordura saturada reduz a capacidade do seu cérebro de aprender e gerar novas células cerebrais.

O açúcar aumenta a inflamação no cérebro, um contribuinte para o TDAH.

O açúcar é tão refinado que é mais um produto químico do que um alimento, mas você ainda pode ser alérgico a ele.

E, por último, o açúcar não tem valor nutritivo algum.

Zero. Zip. Nada.

Assim, para cada caloria de açúcar consumido, seu cérebro fica pequeno para os nutrientes que necessita.

Glúten e TDAH: Mais Do Que Uma Moda Passageiragluten e dda

Atualmente, um e cada três de nós está limitando a quantidade de pão e trigo que consumimos.

Como o “esteio da vida” começou a ser um problema tão grande?

Nos últimos 50 anos, o trigo foi modificado para conter até 50 vezes mais glúten do que quando nossos ancestrais assavam o primeiro pedaço de pão.

Sabe-se há décadas que o glúten pode causar uma longa lista de problemas neurológicos, incluindo demência, dores de cabeça, convulsões, tremores, depressão, perda de memória e epilepsia naqueles que são sensíveis ao glúten.

Mas o que não foi percebido até recentemente é o quão são comuns as doença celíacas e a sensibilidade ao glúten.

A doença celíaca é uma desordem autoimune desencadeada pelo glúten, uma proteína encontrada principalmente no trigo e em outros grãos.

Enquanto os sinais mais óbvios de doença celíaca são digestivos, existem mais de 300 possíveis sintomas da doença celíaca, incluindo sintomas neurológicos e psiquiátricos.

Uma dieta sem glúten melhora significativamente o TDAH em pacientes com doença celíaca.

Mas pode ajudar aqueles que não foram diagnosticados com esta desordem?

De acordo com o Centro Nacional De Consciência Celíaca, 83% das pessoas com doença celíaca não foram diagnosticadas – sendo assim, você pode ter e não saber disso.

E você não tem que ter a doença celíaca para experimentar os efeitos negativos do trigo.

Mesmo mais pessoas tendo sensibilidade ao glúten, significa que seu corpo reage negativamente ao glúten, mas não com a montagem de uma resposta autoimune.

A maneira mais simples para determinar se o glúten é um problema para você é com uma dieta simples de eliminação.

Corte trigo e outros grãos que contêm glúten (ou seja, cevada, aveia, centeio) durante um mês.

No final do mês, volte a comer a quantidade de trigo que você costumava comer e observe o que acontece.

(Eu tentei isso e fiquei muito surpreso no quão terrível eu me senti quando voltei a adicionar trigo na minha dieta!).

E não deixe a ala dos alimentos sem glúten distraí-lo da sua missão principal – comer comida de verdade.

Biscoitos sem glúten, cereais e salgadinhos processados não são um alimento real.

TDAH E Aditivos Alimentares

A Administração de Alimentos e Medicamentos do EUA permite que 3.000 aditivos alimentares sejam utilizados em nossa alimentação.

E ninguém sabe realmente o que eles estão fazendo para nossos cérebros.

O Dr. Benjamin Feingold, um pediatra e alergista, escreveu o livro que mudou o jogo Why Your Child is Hiperative por volta de 1974.

Ele foi o primeiro médico a especular publicamente que os produtos químicos da nossa dieta estavam causando o TDAH.

Ele popularizou a primeira dieta para o TDAH que evitava aditivos alimentares artificiais e salicilatos, compostos encontrados em muitos alimentos e especialmente em frutas como maçãs e uvas.

Tão resistente quanto o objetivo principal de abraçar sua teoria, a Academia Americana de Pediatria agora concorda que a eliminação de conservantes e corantes alimentares da dieta é uma opção razoável para as crianças com TDAH.

Enquanto você ainda pode encontrar o livro de Feingold online, as informações têm décadas de idade.

Para um livro atualizado sobre a dieta Feingold, confira o Guia All Natural Mom’s Guide to the Feingold Diet.

TDAH E Adoçantes Artificiais

Um grupo de aditivos químicos que merecem uma atenção especial em relação ao TDAH são os adoçantes artificiais.

Os adoçantes artificiais são más notícias para o seu cérebro e eles não estão nos deixando mais magros.

Eles causam confusão mental, dores de cabeça, tonturas, ansiedade e depressão.

Ironicamente, eles confundem o cérebro o fazendo querer mais alimentos e bebidas doces.

Mais de 7.000 efeitos colaterais do aspartame têm sido relatados para a FDA, incluindo o aumento de sintomas de déficit de atenção. (15)

Não se iluda pensando que refrigerantes diet são uma escolha melhor do que a soda carregada de açúcar.

Cafeína E TDAH: Beber Ou Evitar?cafeina e tdah

Por último, você deve beber café por causa do TDAH ou evitá-lo?

A cafeína é a substância psicoativa mais popular do mundo.

Um monte de pessoas com TDAH bebem café, bebidas energéticas e refrigerantes com cafeína como uma forma livre de drogas para melhorar o foco e concentração.

Como você poderia esperar, a comunidade médica lança um olhar severo sobre a ideia de pacientes se automedicarem com cafeína, especialmente as crianças.

Um pouco de cafeína pode deixar você mais alerta e produtivo, mas muito pode deixá-lo nervoso, ansioso, irritado e incapaz de dormir.

Curiosamente, algumas pessoas com TDAH não são afetados por cafeína.

Outros acham que uma vez que eles começam a medicação para o TDAH, sua necessidade de cafeína diminui muito.

Se a cafeína no café é super estimulante, o chá verde pode ser uma alternativa melhor desde que a sua cafeína é equilibrada com o composto calmante L-teanina.

Ironicamente, pais que não sonhariam em dar a seus filhos uma xícara de café, entregam a eles uma lata de refrigerante em vez disso!

Nunca é aconselhável consumir cafeína, juntamente com as enormes quantidades de açúcar encontradas em refrigerantes normais ou os adoçantes artificiais encontrados em refrigerantes diet.

O resultado é que todo mundo reage de maneira diferente à cafeína, mas se você puder encontrar o equilíbrio certo – a quantidade certa de cafeína de uma fonte saudável – é relativamente baixa na escala de vícios.

TDAH e a Dieta: A Linha de Fundo

A comunidade médica é em grande parte da opinião que há pouca ou nenhuma correlação entre o TDAH e a dieta.

Mas você não tem nada a perder e muito a ganhar ao melhorar a sua dieta.

Isso significa comer alimentos não processados, evitar alimentos que causem alergias ou sensibilidade, e remover de sua dieta substâncias não nutritivas como açúcar, aditivos alimentares e edulcorantes artificiais.

Espero que essas dicas possam te ajudar na sua vida o quanto que vem em ajudando.
A algum tempo eu simplesmente reduzi drasticamente da minha vida o consumo de carboidratos,gluten,açucar além disso passei a introduzir em meu cardápio alimentos ricos em proteínas, omega3 e ácidos graxos como; carne, peixe,coco,azeite de liva extra virgem.

O resultado tem sido maravilhoso. Aumento de concentração e foco são alguns dos benefícios além de mais disposição para o dia a dia.

Forte abraço e até a próxima 😉
Alguma dica,sugestão ou dúvida? Deixe um comentário ai em baixo.

Como terminar o que você começou em 5 passos simples

Como terminar o que você começou em 5 passos simples

Olá TDAH ! Hoje vou falar sobre mais um tema recorrente na vida do TDAH.
Posso apostar que em algum momento da sua vida você já ouviu a famosa fraseVocê começa as coisas e nunca termina“. Eu mesmo já ouvi essa frase um bilhão de vezes do meu pai. Sei bem como é isso.

Você deve perceber que geralmente quando se tem uma boa ideia ela vem com uma carga de energia muito grande para podermos colocar nossa ideia em prática. Você começa um projeto novo, com todo o gás do mundo, como se fosse um corredor de 100 metros rasos dando o melhor de si. Acontece que, o tempo vai passando e você simplesmente vai perdendo esse gás e simplesmente vai desanimando, até chegar a um ponto de abandonar essa ideia ou projeto. O que resta é o sentimento de frustração.
Nesse momento nós percebemos que “a vida é uma maratona e não uma corrida de 100 metros”

O grande desafio então é: como manter a motivação? Parece algo tão difícil continuar um projeto por muito tempo? Por que essa energia e esse gás vão acabando? Isso é algo que não corre apenas com TDAH’s. Apesar de sofrermos mais com esse tipo de problema, várias pessoas também sofrem com isso.
A boa notícia é que existem meios para se manter focado e motivado em um objetivo apenas burlando alguns mecanismos do seu cérebro. Vou lhe dar algumas dicas sobre como conseguir manter o foco e a motivação. Usando alguns princípios que eu aprendi com o Coaching e a PNL, você vai terminar o que começou em 5 passos bem simples, veja:

Tenha uma imagem clara do objetivo final antes de começar.

Antes de começar algo novo é preciso para um tempo para refletir sobre todos os aspectos da sua meta. Imagine-se no final do seu objetivo, veja claramente o resultado final. Como você vai saber que conseguiu o que queria? O que você vai dizer para você mesmo naquele momento?

Escreva sua ideia ou objetivo no papel

Escrever uma meta ou objetivo no papel tem um impacto muito grande para seu cérebro. Essa atitude aumenta o sentindo de importância e direciona o seu foco para o lugar certo. Ter sua ideia anotada já é o primeiro passo para trazer sua ideia para o mundo físico

Descubra motivações secundárias

Quando você começa algo novo geralmente está apaixonado por uma ideia sobre o assunto, mas encontrar motivações secundárias irá te ajudar a permanecer empolgado com sua tarefa.
Por exemplo: Se você começar aulas de inglês muito provavelmente sua motivação primária é aprender inglês. No entanto, você pode se surpreender com motivações secundárias, como as amizades que você fará no local. Isso te ajudará quando você estiver desanimado com a aula em si e se lembrar dos bons amigos com quem vai encontrar lá.

Desista do perfeccionismo

Algo que sempre atrapalha quando começamos algo novo é querer fazer tudo perfeito da melhor maneira possível. Isso é bom, porém pode te atrapalhar e servir como desmotivador. Se você começa a executar um projeto novo, mas ele não sai perfeitamente como você quer, pode te desanimar um pouco. Porém, vale lembrar que feito é melhor que perfeito. Você pode sempre aperfeiçoar o que você está fazendo. O perfeccionismo cria a imagem do ideal, porém é preciso lembrar quem nem tudo vai sair como planejamos e é preciso não deixar o perfeccionismo te paralisar.

Envolva outras pessoas na tarefa

Imagine que você começou a fazer alguma atividade física. Pode ser que você acorde em uma manhã chuvosa e queira desistir desse seu novo hábito. Isso vai gerar uma instabilidade e você pode perder sua empolgação inicial. Mas se por outro lado você chamar alguns amigos para fazer exercícios com você é muito provável que eles te liguem e te convençam a sair de casa mesmo é um dia chuvoso. Envolver mais pessoas na sua Idea faz com que você tenha mais motivação externa.

Esses são alguns passos simples que podem ser úteis para você conseguir finalmente terminar aquilo que começou. Se você seguir essas cinco dicas simples é bem provável que você consiga finalmente chegar aonde quer. Eu mesmo procuro segui-las.
Em breve farei mais artigos que irão complementar ainda mais sobre esse assunto.

Se esse artigo foi útil pra você, deixe-me saber o que achou.

Forte abraço e até a próxima!

Os 7 tipos de TDAH e como identifica-los

Os 7 tipos de TDAH e como identifica-los

Você sabia que não existe apenas um tipo de TDAH? Duas pessoas diagnosticadas com TDAH podem ter sintomas diferentes, e por isso tratamentos diferentes, segundo Dr Daniel Amen autor do livro “Transforme se cérebro transforme sua vida”

O Distúrbio do Déficit de Atenção é um dos problemas de desenvolvimento mais bem reconhecidos da infância.

Mas ele não termina na infância. Você sabia que um total de 60% daqueles que foram diagnosticados com TDAH na infância vão continuar a ter problemas que afetam o seu funcionamento como adultos? É verdade. E o TDAH pode voar sob o radar em adultos que nunca foram diagnosticados na infância.

Mesmo que as taxas de prevalência não sejam totalmente claras para adultos, como mencionado anteriormente, elas estão estimadas em um alcance entre 4% a 5%.

Há um monte de adultos que lutam com problemas de atenção! Além disso, o TDAH permanece como uma das doenças mais mal compreendidas e tratadas incorretamente nos dias atuais.

Felizmente  isso está mudando.

Usando técnicas de diagnóstico avançadas, o Dr. Amen descobriu que existem 7 tipos distintos de TDAH, cada um exigindo um tratamento diferente.

Essa é uma boa notícia, pois mais pessoas podem ser ajudadas com tratamentos que são adaptados para o tipo específico de TDAH.

Mas o primeiro passo no tratamento do TDAH é determinar se você o tem.

7 tipos de tdah infografico Aqui estão vários comportamentos de identificação para serem procurados

– e os 7 tipos de TDAH revelaram que:

Há cinco sintomas característicos e duradouros do TDAH:

  1. Atenção de curto prazo: Pessoas com TDAH têm dificuldade com tarefas chatas (tais como as tarefas rotineiras e regulares) e precisam de estimulação ou excitação para permanecerem nelas. Muitas pessoas com TDAH podem prestar atenção apenas em coisas que são novas, interessantes, altamente estimulantes, ou assustadoras.
  2. Distração: Pessoas com TDAH tendem a prestar mais atenção no ambiente deles do que outros, o que os torna facilmente distraídos por estímulos externos, tais como luzes, sons, cheiros, certos gostos ou até mesmo as roupas que estão vestindo. A aguçada sensibilidade faz com que eles facilmente se distraiam da tarefa.
  3. Desorganização: Muitas pessoas com TDAH tendem a lutar com a organização do tempo e do espaço. Elas tendem ao atraso e têm problemas para completar tarefas a tempo. Muitas coisas são feitas no último momento ou até mais tarde. Elas também tendem a lutar para manter seus espaços arrumados, especialmente seus quartos, bolsas de livros, estantes, gavetas, armários e papelada.
  4. Procrastinação: Tarefas e deveres são postos de lado até o último momento. As coisas não tendem a ficarem prontas até que exista um prazo final ou que alguém fique muito bravo por não terem sido feitas.
  5. Baixo autocontrole: Muitas pessoas com TDAH têm problemas com julgamento e controle de impulsos, e lutam para não dizer ou fazer coisas sem pensar completamente sobre isso. Elas também possuem mais dificuldade em aprender com seus erros.

Você precisa de pelo menos três destes sintomas por um longo período de tempo, e esses sintomas, de alguma maneira, devem interferir em sua vida.

Aqui está uma breve descrição de cada tipo de TDAH em tradução livre:

Tipo 1. TDAH Clássico (TDAH) – desatento, distraído, desorganizado, hiperativo, agitado e impulsivo.

Tipo 2. TDAH de Desatenção – desatento, facilmente distraído, desorganizado, e muitas vezes descrito como cadetes do espaço, sonhadores, e batatas de sofá. Não hiperativo!

Tipo 3. TDAH Mais Concentrado – desatento, problemas de desvio de atenção, frequentemente fica preso em circuitos de pensamentos e comportamento negativos, obsessivo, preocupação excessiva, inflexivo, frequente comportamento argumentativo e de oposição. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 4. TDAH Lobo Temporal – desatento, facilmente distraído, desorganizado, irritável, pavio curto, pensamentos obscuros, instabilidade no humor, e pode lutar com dificuldades de aprendizagem. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 5. TDAH Límbico – desatento, facilmente distraído, desorganizado, tristeza crônica de baixo grau ou negatividade, “síndrome do copo meio vazio”, baixa energia, tende a ser mais isolado socialmente, e frequentes sentimentos de desesperança e inutilidade. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 6. TDAH Anel de Fogo – desatento, facilmente distraído, irritável, demasiado sensível, ciclos de mau humor e de oposição. Pode ou não ser hiperativo.

Tipo 7. TDAH de Ansiedade – desatento, facilmente distraído, desorganizado, ansioso, tenso, nervoso, prevê o pior, fica ansioso com testes cronometrados, ansiedade social, e com frequência tem sintomas físicos de estresse, tais como dores de cabeça e sintomas gastrointestinais. Pode ou não ser hiperativo.

Lembrando que essas denominações são apenas uma tradução livre feita por mim pois ainda não existe uma denominação oficial em português.

Se você acha que você ou um ente querido pode ter TDAH, faça nosso questionário online para aprender mais.

Sobre o autor da teoria:

daniel amenDaniel Gregory Amen é um psiquiatra americano e um especialista em distúrbios no cérebro. É diretor da Clínica Amen e também é um autor best-seller do New York Times. Sua clínica trabalha com serviços para pessoas com problemas de distúrbio de déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), além de outros distúrbios.

Daniel Amen ainda trabalha como professor clínico assistente de psiquiatria e comportamento humano na Universidade da Califórnia.

Como curiosidade, o Dr. Daniel Amen também é um consultor de pós-concussão pela Liga Nacional de Futebol Americano (NFL) nos Estados Unidos, pois o médico tem feito estudos sobre as lesões cerebrais que afetam os atletas profissionais.

O psiquiatra tem mais de 30 livros publicados, mas poucos foram traduzidos para o português.

Alguns deles traduzidos para o Brasil e que se tornaram sucessos são:

  • Transforme Seu Cérebro Transforme Sua Vida,
  • Use Seu Cérebro Para Mudar Sua Idade,
  • Mude Seu Cérebro, Mude Seu Corpo.

É isso ai, espero que tenha gostado deste artigo. Em breve vou trazer para você um teste no qual você poderar saber qual tipo de TDAH é você com mais certeza. Qualquer dúvida ou sugestão um comentário é sempre bem vindo.

Até a próxima